Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Erre Grande

Diário motivacional de quem sabe o que quer: viver, aprender e crescer profissional e pessoalmente.

Erre Grande

Diário motivacional de quem sabe o que quer: viver, aprender e crescer profissional e pessoalmente.

Ter a solução ou encontrar a solução?

A vida seria tão bonita, tão suave, tão calma se não existe uma coisa péssima - um problema.

Verdade seja dita, todas pessoas que têm um emprego estão de certa forma a resolver problemas: quer seja a fazer amostras de produtos, contactos comerciais, organizar contas, a fazer suporte da equipa técnica, todos nós temos o papel de resolver um problema, arranjar uma solução.

 

Isto dos problemas e das soluções já vem desde a escola, pois desde pequeninos que somos incentivos a pensar em laranjas e pêras e triângulos e rectângulos. Os problemas nos livros de matemática passam para a vida real, quando temos de negociar com um cliente, vender um projecto ou até arranjar um cano partido.

 

Pronto é isso, quando há um problema, temos de por em prática uma solução - mas onde é que vou arranjar essa solução?

 

Se na escola quando aprendemos a somar e a subtrair, olhamos para um problema e já sabemos o que fazer, na vida real as competências pedidas para resolver certos problemas vão para além do mais e do menos. É preciso conhecimento técnico ou uma skill específica e muito do nosso "problema" vem quando recebemos aquele email com o tal problema mas não sabemos como solucioná-lo. É preciso fazer o quê? É para eu resolver? É para o gajo da informática resolver? Como é que ele vai resolver isto? Isto dá para resolver? Será que dá para resolver isso hoje?

Pois, já estão a ver o filme, isto tudo porque bem sabemos que a maioria do stress que temos diariamente não é tanto com os problemas mas com as soluções.

Contudo, penso que encontrei a solução para o problema de não saber as soluções que resolvem os problemas (entenderam?).

 

Recentemente vi o filme Em Busca da Felicidade, com o Will Smith, em que numa cena de entrevista de emprego, a personagem, mal vestida, sem grandes competências e a ver que as coisas não estavam a correr bem para o seu lado, deixa uma última impressão que deve ser utilizada por todos nós no dia-a-dia:

 

Posso dizer algo? Eu sou o tipo de pessoa que se me perguntares algo e eu não sei a resposta, eu vou dizer-te que não sei. Mas eu prometo que eu sei como encontrar a resposta e eu vou encontrá-la.

 

Parece fácil, ou não? Se não sabemos uma solução para um problema, arranjamo-la! O bom profissional não é aquele que tem todas as respotas, mas sim aquele que as sabe encontrar. Porque ter conhecimento é uma coisa, mas saber como ter conhecimento é outra.

1 comentário

Comentar post