Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Erre Grande

Diário motivacional de quem sabe o que quer: viver, aprender e crescer profissional e pessoalmente.

Erre Grande

Diário motivacional de quem sabe o que quer: viver, aprender e crescer profissional e pessoalmente.

O meu presente de Natal

Já que estamos no meu aniversário e o Natal está aí, aqui fica a minha Wishlist para o Natal.

 

Não é bem uma lista porque este ano gostava de ser diferente. Sim, gostava de ter aquela mala xpto, o parka quentinho para poder usar no fim-de-semana, aquelas botas giraças para usar no dia-a-dia, aquele pijama quentinho com o Winnie The Pooth, toda a colecção de CDs dos Beatles, ganhar uns vouchers sem data de validade para ir ao cinema, ter uma semana paga nas Caraíbas, ter um carrinho novo à porta de casa, e ver o ordenado aumentado cinquenta vezes para não me preocupar mais com a vida.

Sim, gostava de ter isso tudo, mas quando chega ao Natal, gosto de fazer pedidos sinceros e realistas e o meu pedido apenas seria este:

 

LML_3D-500x774.png

Um livro.

Um mísero livro.

Um mísero livro que nem chega às 300 páginas. Um livro de dois trintões americanos que viveram o sonho americano de ter uma casa nos subúrbios, os carros de topo e o salário acima dos 100 mil dólares mas que deixaram tudo e abraçaram o Minimalismo, uma forma de vida mais simples, despojada de objetos e focada no que é realmente essencial na vida.

É a única coisa que gostava realmente de pedir este Natal. Porquê? Porque desde que encontrei estes gajos há semanas que quero devorar este livro. E sei que o devorava em um dia muito facilmente. Porque ouvi um podcast em que um deles contava a sua vida e gostei tanto mas tanto que ouvi o podcast duas vezes, no mesmo dia. Porque tudo o que eles dizem e falam e querem e desejam e espalham faz TODO o sentido! A maneira como eles dizem que podemos ter redes sociais mas viver uma vida com significado; como podemos e devemos querer ter dinheiro não para comprar coisas mas sim para viver uma vida com liberdade e sentido.

 

Se só pudesse pedir uma coisa no Natal, seria esta. Não é paradoxal pedir um objeto, pois este objeto faz sentido ter, porque um livro não é só um objeto: é uma viagem, uma experiência de vida muito pessoal e intransmissível. E com este livro sinto que iria aprender muito e talvez mudar a minha vida. É o presente perfeito, não acham?