Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Erre Grande

Diário motivacional de quem sabe o que quer: viver, aprender e crescer profissional e pessoalmente.

Erre Grande

Diário motivacional de quem sabe o que quer: viver, aprender e crescer profissional e pessoalmente.

Steve Jobs e a Apple

A semana passada celebrou-se o aniversário de Steve Jobs. O criador da Apple e do smartphone mais conhecido do mundo faria 61 anos, se o cancro não lhe tivesse roubado a vida, há cinco anos atrás.

 

Steve Jobs é por muitos considerado o génio do século XXI, pois criou a Apple, aquela que é a empresa mais valiosa do mundo, aquela que é a marca das marcas, mundialmente reconhecida pela sua simplicidade, inovação e cultura. A Apple faz parte do nosso quotidiano devido à sua não neutralidade: ou se gosta ou não se gosta de Apple, todos temos uma opinião em relação ao iPhone, ao seu custo elevado, ao seu design, à cultura de exclusividade de produtos, à App Store, ao iTunes, às política de segurança. A Apple não nos é indiferente.

 

A minha relação com a Apple foi primeiro de torcer o nariz. Não gostava da Apple, não gostava dos produtos, não entendia o seu preço e achava Jobs e os seus fãs pessoas malucas apaixonadas por só um equipamento, arrogantes, egocêntricas, demasiado confiantes e preconceituosos face às pessoas que escolhiam não ter Apple.

A minha opinião mudou ao longo do tempo. Ao ficar mais interessada no marketing, nas marcas e como estas funcionam e montam os seus impérios, aprendi a respeitar a Apple e a sua pegada no mundo tecnológico. Sem a Apple, onde estaria o iPhone e o telemóvel sem teclas? Onde estaria o leitor de MP3 para armazenar quantidades astronómicas de música, compradas através da internet? Como é que as pessoas iriam dizer a famosa frase "um Mac nunca vai abaixo?". Com o meu interesse também no empreendedorismo, comecei a perceber o génio de Steve Jobs, da maneira como criou a sua visão, como trabalhou todos os dias, como não desistiu do seu sonho mesmo depois de ter sido despedido da sua própria empresa, como não deixou de trabalhar mesmo depois de ter criado uma ideia fantástica.

 

Quer queiramos quer não, a Apple faz parte das nossas vidas e Steve Jobs é responsável por isso. A sua figura de génio/louco é controversa, não fosse ela inspirar imensos filmes e rasgados elogios. E nem sempre lhe é reconhecido o mais simpático dos feitios, sendo várias as histórias de humilhação e despedimentos de empregados que não iam ao encontro das suas ideias. Seria Jobs um louco ou um génio? A opinião depende de cada um mas não se pode ignorar o seu trabalho e contributo para a humanidade, quer seja na inovação tecnológica que conseguiu com a sua empresa, quer seja na vertente de desenvolvimento humano, ao servir de exemplo para miúdos e graúdos de como a persistência e o trabalho árduo levam ao sucesso.

 

Para relembrar o seu aniversário, a Business Insider fez um levantamento de 15 frases inspiradoras , frases essas que passados cinco anos da sua morte continuam a fazer sentido, mostrando que Steve Jobs é um génio não só por aquilo que construiu em vida, mas também por aquilo que deixou  - um legado de empreendedorismo inspirador e uma motivação para todos os loucos.

Pág. 2/2